domingo, 10 de abril de 2011

[Resenha] A Canção do Súcubo - Richelle Mead (Georgina Kincaid #1)


A Canção do Súcubo
Richelle Mead
Editora: Essência
Gênero: Y.A.
Páginas: 304
“No centro da história, está Georgina Kindcaid, uma mulher que é não apenas poderosa, mas glamourosa. Ela tem todos os homens a seus pés, mas não pode ter o único homem que deseja. Se ela ceder aos seus impulsos, pode levar seu amado à morte. Mas como resistir a Seth Mortensen, seu escritor favorito, que o destino colocou no seu caminho?"
Esse é um dos meus favoritos. Como eu já disse antes, histórias sobre seres sobrenaturais me encantam, e sempre que posso, eu leio algum livro sobre o assunto. Eis que em um final de semanas desses da vida (Quando eu ainda sabia o que era um final de semana), me emprestaram a Canção do Súcubo. Bem, eu já tinha lido dezenas de livros sobre vampiros, anjos caídos, bruxas, lobisomens, e um monte de outras criaturas parecidas, mas... Súcubo? Isso era novidade. Peguei o livro para ler, e o fiz com tamanha voracidade, que no mesmo dia eu já tinha chegado ao fim.

Confesso que no início fiquei um pouco espantada com a linguagem “liberal” empregada por Richelle nesse livro, ainda mais depois do pudor usado por ela na série “Academia de Vampiros”. É claro que esse detalhe deixou a história muito mais real. Eu acharia no mínimo estranho se em um livro sobre súcubos houvesse algum tipo de pudor nas descrições, mas achei pertinente falar sobre isso. Se você é menor de idade, nada de “A canção do Súcubo” para você. Ai, ai, ai!
A Canção do Súcubo conta, com um leitura fácil e descontraída, a história de Georgina Kincad, uma atendente de livraria que nas horas vagas absorve energia vital dos humanos através de maneiras... Não muito convencionais. Quero dizer, até são para um súcubo. Exceto pelo fato de que Georgina prefere “sugar” os caras de mau caráter, deixando assim seu trabalho como demônio do sexo um pouco mais fácil.
A história já começa com o assassinato de um ser “imortal”, onde todas as suspeitas recaem sobre a protagonista e esta, disposta a limpar seu nome, começa uma investigação para descobrir quem é o verdadeiro assassino. Em meio a esse cenário, ela conhece Seth Mortensen, que, além de ser seu escritor favorito ainda é lindo e charmoso, fazendo com que todos os seus instintos de súcubo começassem a borbulhar incontrolavelmente em sua presença. Mas não é somente o escritor que passa a fazer parte da vida de Georgina. Roman, um cara muito sexy e sedutor, que livra Kincad de uma situação embaraçosa com seu chefe adúltero (E que por acaso era sua principal fonte de energia), promete ser páreo duro na conquista do coração da protagonista. Isto é, se não fosse pelo fato de que ela não pode ficar com nenhum dos dois, já que um simples beijo poderia levá-los à morte.
Achei a narrativa bem elaborada e original. A autora faz um bom uso da mitologia envolvida e ainda consegue criar personagens super divertidos. Para começar, Georgina é uma das raras protagonistas que eu gosto. Com seu jeito decidido, forte e um pouco inclinado a desobedecer a regras, ela quase consegue o primeiro lugar na minha lista de protagonistas favoritas. Sobre a minha paixão nesse livro, embora Seth seja um escritor lindo, maravilhoso e muito inteligente, quem conseguiu conquistar meu coração mesmo foi Carter, o anjo que fica de olho nos imortais daquela região. Ele é simplesmente incrível! É irônico, misterioso e muito poderoso. Foi praticamente paixão à primeira vista.
A vida de Georgina é uma constante confusão. Teve momento em que eu chorei horrores pensando "Que merda de vida é a dela!". Chega a ser frustrante pensar em como se imortal poder ser tão... Solitário. Uma droga, eu diria. E é ai que mora a magia do livro, a leitura é tão chamativa, que você começa sem querer a sofrer junto com os personagens e a tentar desvendar os mistérios junto com eles. Exceto pelo fato de que eu não tenho um Carter para mim... =(
Sobre a capa, em minha opinião ele é bem feinha. Na descrição do livro, Georgina é uma mulher hipnoticamente bela, e a moça da capa ficou no mínimo (E sendo bem gentil) estranha. Não achei que combinou com o livro. Talvez algo mais abstrato ficasse muito melhor.
Bom, resumindo. O livro é totalmente recomendado a todos que gostam de histórias sobrenaturais. Aconselho a comprar agora mesmo (Aproveite e seja uma alma caridosa me presenteando com um, já que o que eu li era emprestado Ç.Ç).

Avaliação:
Capa:
Acabamento do livro:
História:
Andamento:
Desfecho:

Avaliação Geral:

Um comentário: