terça-feira, 7 de junho de 2011

[Coluna] A Palavra da Lagarta #1 - A indústria do livro no Brasil


Falar da indústria do livro brasileira hoje é uma coisa um tanto complicada. A parcela da população que realmente lê é muito pequena e o incentivo, menor ainda. É claro que temos ótimos eventos como a Bienal do Livro, e redes sociais como o Skoob, mas, se comparado com a grandiosidade do Brasil, ainda é muito pouco.
É visível, porém, o número crescente de editoras que estão surgindo no país. Diversos escritores estão finalmente ganhando seu espaço no mercado literário e, o que antes era uma baita dor de cabeça, hoje está se tornando um motivo de prazer. Então, se os livros brasileiros estão aumentando, há motivo para comemoração, certo? Na verdade, não. Apesar do arduo esforço das pequena editoras para evidenciar os escritores brasileiros, nós ainda temos uma grande barreira a vencer: o estrangeirismo.
Parece cultural que todo brasileiro pense que o que bem de fora é de maior qualidade. Seja isso um livro, um seriado, ou uma música, tudo o que vem dos Estados Unidos é melhor. Isso acaba desistimulando os escritores brasileiros e abafando a genialidade de boa parte deles. O estrangeirismo é um problema que está enraizado nas pessoas, está preso tão profundamente que será preciso muito mais do que o esforço das pequenas editoras para abrandá-lo.
Poderia-se dizer que a conscientização seria a solução, mas essa é uma resposta muito geral, muito clichê para ser eficiente. Existe uma série de fatores que junto poderia acarretar numa mudança significativa para a literatura no país. Fatores estes que não se resumem apenas na cabeça de cada um, mas também nas atitudes das editoras, principalmente daquelas que têm a maior voz no país.

2 comentários:

  1. É bem raro ver um escritor brasileiro hoje em dia. Maioria dos livros são estrangeiros e mesmo sendo bons podem não chegar aos pés dos nossos. Os livros do André Vianco são fantásticos e depois que eu li um de seus livros eu me interessei por mais.
    Por mais que a literatura brasileira seja camuflada, não podemos deixar de ler livros da nossa terrinha.

    ResponderExcluir
  2. Concordo! O estrangeirismo é um grande problema.
    E eu também faço parte dos que precisam superar esta barreira. Embora já tenha lido livros dos mais famosos escritores brasileiros, ainda tenho certa resistência à literatura brasileira.
    Porém também vejo muita coisa ruim na literatura estrangeiro; aliás, a maior parte dos livros estrangeiros que estão em evidência, são livros ruins. Minha opinião, claro! Acho que o melhor da literatura internacional, são os livros menos procurados!

    ResponderExcluir