segunda-feira, 4 de julho de 2011

[Resenha] O Ladrão de Raios - Rick Riordan (Percy Jackson e os Olimpianos #1)


O Ladrão de Raios
Rick Riordan
Editora: Intrinseca
Gênero: Fantasia
Páginas: 385

“Percy Jackson está para ser expulso do colégio interno... de novo. É a sexta vez que isso acontece. Aos 12 anos, está é apenas uma das ameaças que pairam sobre esse garoto, apenas dos efeitos da síndrome do déficit de atenção, da dislexia...e das criaturas fantásticas e deuses do Monte Olimpo, que, ultimamente, parecem estar saindo dos livros de mitologia grega do colégio para a realidade. E, ao que tudo indica, estão aborrecidos com ele...”

Mitologia grega é um assunto que sempre me encantou muito. Aliás, quando comprei o livro para ler estava 90% motivada pelo tema e 10% pelo título. Admito também que havia um pedacinho em mim que estava pronto para criticar o péssimo desenvolvimento que normalmente é feito acerca deste assunto. Mas eu estava errada. Rick demonstrou um jogo de cintura incrível ao abordar o assunto e conseguiu organizar todo o contexto mitoglógico em uma história coerente e divertida.
Percy é um garoto de doze anos com dificuldades de concentração, dislexia e... algum tipo de imã para problemas. Depois de ser expulso pela enésima vez de um colégio, ele acaba indo para uma espécie de internato para garotos problemáticos. Lá, Percy tenta se comportar e não repetir os eventos que o levavam a expulsão . Mas, é como dito: ele era um imã! Depois de um estranho ocorrido durante uma excursão com a escola, ele descobre que existe uma explicação para tudo o que lhe acontece: Percy é filho de um deus e o poder que é emanado dele atrai os monstros e problemas que o perseguem. Fica óbvio desde o início do livro quem é o pai do protagonista, mas a hora da revelação deu um delicoso friozinho na barriga!
A narrativa de Rick é leve, constante e, embora muitas vezes beire o infantil, eu achei muito gostosa. Não é aquele tipo de livro que se prende demais a descrições demoradas ou passagens rebuscadas, é algo mais descontraído e atrativo, algo que te faz ler o livro até a última letra sem se cansar, deixando assim um gostinho de “quero mais”.
Achei a personalidade de Percy divertida. Embora muitas vezes ele seja lento para perceber o que acontece ao seu redor, ele se demonstra aquele tipo de protagonista destemido que esta sempre pronto para ajudar os amigos. Um pouco irritadinho e impulsivo, ele consegue se manter o mesmo até o final, sem bipolaridade ou mudança de personalidade.
Sobre Annabeth, eu a achei muito parecida com Hermione. Ela é inteligente, orgulhosa e está sempre com alguma solução nas mangas.Eu gostei bastante dela, mas admito que nenhum personagem me cativou de verdade. Fora alguns deuses que já são meus favoritos de longa data, os personagens do livro mesmo não foram especiais o suficiente para chamarem a minha atenção.
Em geral eu gostei bastante do livro. Rick conseguiu trazer a Mitologia e toda a sua mágica para um contexto atual e que, a princípio, parecia ser inadaptável. Pensei realmente que o livro não seria bom simplesmente porque alguns mitos não se encaixam nos dias atuais. Entretanto, lá estava ele provando que não só era possível, como ele adaptou... E muito bem! Livro super recomendado para qualquer gosto literário.
Sobre o filme... Bem, eu vou deixar para criticá-lo na coluna adequada, mas adianto aqui que, como 99,99% das adaptações, ficou MUITO a desejar. Não gostei, aliás, estou pra dizer que foi uma das piores adaptações que eu já vi. Mas, como eu disse, deixarei isso para mais tarde.
Como pede a tradição, ai esta o trailer




Avaliação:


Capa:

Acabamento do livro:
História:
Andamento:
Desfecho:


Avaliação Geral:

2 comentários:

  1. Esse é um livro que gosto muito, e devo dize, é impossível não compara-lo com o Harry, da mesma forma que é impossível comparar qualquer livro com seu predecessor. Tenho de concordar plenamente com seu julgamento em relação à esse livro. sem mais.

    ResponderExcluir
  2. Livro é realmente muito foda, como toda a série.É uma leitura que vale a pena, pois trabalha a mitologia de uma forma realmente interessante. Quanto ao filme... sendo bem curto: pedaço de lixo.

    ResponderExcluir