segunda-feira, 14 de novembro de 2011

[Coluna] Através do Espelho #1: Percy Jackson e os Olimpianos: O Ladrão de Raios.



Através do Espelho #1: Percy Jackson e os Olimpianos: O Ladrão de Raios.

Aiai, fazia tempo que eu estava com vontade de escrever esse post em particular, mas, como o tempo é curto - muito curto, diga-se de passagem – ele acabou por ficar engavetado.
Antes de começar, porém, deixe-me explicar o sentido da coluna “Claquete de Livros”.

Todos os assíduos leitores conhecem muito bem esse sentimento de amor e ódio que acabamos adquirindo pelas adaptações feitas dos nossos livros para as telinhas. Quando gostamos muito de uma obra, esperamos até com certa ansiedade que esta acabe nos cinemas, porém, quando isso finalmente acontece, o que não faltam são comentários maldosos de como o filme estragou o livro. Aliás, isso acontece até com uma freqüência irritante. E é justamente isso que iremos discutir nessa primeira versão de Claquete de Livros!

Como primeiro livro, escolhido a dedo para estrear a nova coluna, estamos hoje aqui com “O Ladrão de Raios” de Rick Riordan (Para ler a resenha do livro, clique aqui).

Dirigido e produzido por Chris Columbus, o mesmo diretor de Harry Potter e a Pedra Filosofal, Harry Potter e a Câmara Secreta e Esqueceram de mim um e dois – Tive que comentar esses dois últimos pelo bem da minha infância-, o filme tinha ser tudo para ser excelente, daqueles que você sente até friozinho na barriga quando ouve falar. Aliás, em partes, foi isso mesmo que aconteceu. Quando eu vi o trailer do filme, cheguei a me empolgar muito. Cheio de efeitos especiais muito bem feitos, e cenas fiéis ao livro, depois de ver o trailer, esperei sinceramente pelo lançamento do filme nos cinemas. Porém, acho que não preciso dizer que me decepcionei. Como costumo dizer, o trailer foi duas vezes melhor que o filme.

A coisa que mais me incomodou, embora para muitos isso possa parecer frescura, foi o elenco. Não me levem a mal, eu tenho uma paixão platônica pelo Logan Lerman. Ele é talentoso, carismático e, o mais importante: ele é lindo de morrer!  Só há um problema: ele não se encaixa no personagem. Percy é um garoto de doze anos (Pausa aqui para frisar o “doze anos”. Logan tem 19), meio irresponsável e deslocado. Acho que talvez por causa da diferença absurda de idade, Logan acabou perdendo a ingenuidade e a infantilidade do personagem. Simplesmente não se encaixa. Outra coisa que para mim é de valor crucial ao se definir um elenco, é a fidelidade no que diz respeito à aparência. Sabe, hoje em dia não é muito difícil adaptar um ator ao físico do personagem desejado. O que não aconteceu com Alexandra Daddario, a atriz que fez Annabeth Chase. No livro, a filha de Atena tem cabelos loiros, cacheados e olhos cinzentos. No filme, não é bem assim. Aliás, a diferença entre as duas é gritante. Juro que me decepcionei muito quando Annabeth apareceu no filme. Foi quase uma facada. Acho que os únicos que, apesar da ligeira diferença para com o livro, ficaram parecidos com aquilo que eu imaginei foram Grover e Luke.

Sabe, eu sei que fazer adaptações para o cinema é um trabalho árduo e complicado. Ainda mais com o preconceito que já se instalou na cabeça das pessoas que assistem à maioria dessas adaptações falhas. Não estou desmerecendo o trabalho daqueles que estão envolvidos na adaptação, mas existem detalhes pequenos que não deveriam ser mudados, ou que foram desnecessariamente alterados. No caso de Percy Jackson, a luta de Annabeth contra Percy no Caçada a bandeira, apesar de aceitável, é completamente desnecessária. A cena do carro, quando eles saem do hotel Lótus é, no mínimo, estranha. E a Perséfone é tão... Bizarra, isso porque ela nem aparece no livro! E o pior de tudo... Eles tiraram a cena que eu mais esperava! A luta de Percy contra Ares. Isso foi imperdoável! Essa é uma das cenas mais legais do primeiro livro e eles simplesmente decidiram que ela é desnecessária para o desenvolvimento do filme. Nananinanão!

Existem diversos outros detalhes que eu poderia passar a tarde inteira listando, mas isso além de tornar o post demasiadamente longo, ainda seria desnecessário. Basta assistir ao filme para notar claramente os desvios sofridos na adaptação. Assisti ao filme apenas duas vezes, mas foi o bastante para eu decidir que definitivamente não foi uma boa adaptação. E espero, com muita sinceridade, que o Mar de Monstros, que está por vir em 2013, seja, no mínimo, um pouco melhor que seu antecessor.

Um comentário:

  1. Fiquei realmente triste com o filme do Ladrão de Raios. E eu ainda vi ele 2 vezes no cinema(masoquismo ownando).
    O Percy é um adolescente, ele dirige, o grover virou apoio humoristico no filme, cortaram personagems importantes, colocaram uma atriz porno no papel da Persefane, tipo, fuderam a parada, de com força.
    E não boto muita fé no Mar de Monstros não, ja que ja modificaram a historia do livro pra fazer com que o Ladrão de Raios virasse mais uma superprodução Hollywoodiana padrão.

    ResponderExcluir