sábado, 21 de janeiro de 2012

[Coluna] Tribunal da Rainha #1 - O Diário da Princesa, bom ou ruim?

No Tribunal: O Diário da Princesa 
Autora: Meg Cabot
288 páginas
Gênero: Romance Y.A., Ficção
Editora Galera (Record)


Caso:
Mia é uma garota que mora em Nova York com a mãe que é artisa plástica e está saindo com seu professor de álgebra. Além disso tem que lidar com a rivalidade com a garota mais popular do colégio, o amor platônico pelo galã da turma e seu metro e oitenta de altura e nenhum peito. Então, seu pai, que pouco vê, lhe dá uma notícia que mudará sua vida.  Ele é o herdeiro de Genovia e por causa de uma doença não pode mais ter filhos, portanto, Mia é uma princesa e nada pode mudar isso.



Acusação -  Flora:
O Diário da Princesa é um problema sério pra mim. Eu comprei com 12 anos e detestei o livro. Achei que poderia ser falta de maturidade ou algo do gênero e reli aos 15. E não era falta de maturidade, detestei o livro novamente. O que muito me intriga, já que eu amo o filme. Sempre que eu vejo Anne Hathaway de Mia, me dá uma vontade imensa de dar mais uma chance pro livro, e ver se eu gosto e continuo a série. Mas ai eu lembro o tomento que foi ler ele por duas vezes e desisto.
Um dos motivos é que Mia é MUITO chata. Reclamona, fútil, irritante... Chata mesmo! A história perde um pouco o tempero, porque personagens que são legais como Michel são mal aproveitados e personagens chatos como a irmã dele, Lili, aparecem a todo momento. Ela é por vezes muito clichê, com as richas com as populares e a paixonite pelo garoto lindo que nem vê ela.
O tipo de narrativa em diário, também é algo que me incomoda, mas eu já li O Diário de Anne Frank que é nesse formato e adoro. Falar que não gosto desse livro é ruim pra mim, porque eu AMO a Meg e não ter gostado da “grande” série dela, me entristece.
Acho a Mia totalmente desnecessária no jeito dela, nas preocupações dela. Adolescente chata. Chata, chata, chata. A Flávia diz que aquilo é um diário e por isso ela reclama, mas quando digo que ela não é legal, não são só suas reclamações, mas as coisas idiotas que faz e o jeito como se comporta, e eu tenho um diário e nem por isso eu preciso ser a Bella Swan escrevendo. Falar nela, todo mundo sabe que eu detesto a Bella e vou te contar. Mia não fica nada atrás.

Defesa - Flávia:
Eu sempre gostei bastante desse livro. Quero dizer, não é difícil (Longe disso!). Ele tem uma narrativa fluida; um pouco estranha por causa do formato de diário, o que leva um tempinho para se acostumar; fácil e rápida. Da para ler tranquilamente em uma sentada. A história também é muito boa. Lembro-me de que a primeira vez que eu li; já faz muito, muito tempo; Eu fiquei completamente fascinada pelo livro e ficava o dia inteiro atenta para saber se meu pai não era, por acaso, o príncipe de algum reinado importante. É claro que as coisas não são bem assim, mas eu sempre fui muito sonhadora. Enfim, acho que deixei claro aqui que minhas opiniões sobre o livro são positivas.
O ponto - o que faz com que a maioria das pessoas que não gostam desse livro, de fato, não gostem – é que a Mia é muito chata. Não, não vou usar essas palavras. Até porque, eu só concordo com elas em partes. Veja bem, ela tem um diário. Quem escreve em um diário, normalmente reclama da vida. É para isso que ele serve (E não a timeline do coleguinha, né pessoal?). Eu aposto que qualquer pessoa aqui que escreva constantemente em um diário, tenha uma coleção gorda de reclamações que deixaria qualquer um que lesse de cabelos em pé! Então, não culpem a Mia por ser chata. Ela só está se expressando em seu diário, lugar onde todos são chatos.
Tenho que admitir, é claro, que nesse livro em particular, faltou um pouquinho de desenvolvimentos em todos os personagens, não só na Mia, mas esse é um problema que é corrigido nas continuação. Basta ter um pouquinho de paciência e acompanhar a série.
Em suma, O Diário da Princesa é um livro bom. Embora peque um pouco no desenvolvimento dos personagens (Como eu disse: isso é corrigido depois), ele é fácil e gostoso de ler, tem alguns personagens que valem à pena e uma história bem estruturada. É um livro um pouco mais de mulherzinha, sem grande clímax, mas ainda assim é um livro que está na lista do “vale a pena ler”.

Mas como aqui a Rainha de Copas são nossos queridos leitores... Vocês decidem! O Diário da Princesa está livre de todas as acusações? Merece quantas xícaras?
Deixe o veredito nos comentários e até o próximo tribunal.

3 comentários:

  1. Amei o tribunal, muito legal. Bom, ainda não li essa serie, por isso não tenho propriedade para dá minha opinião, a única coisa que posso falar é que não tenho interesse em lê-la. Sei lá, simplesmente não tenho vontade, a estória não me atrai tanto... Gosto muita da Meg, ela é sempre uma saída quando tô um pouco cansada de livros sérios e a única coisa que quero é me divertir com um livro. Para mim, sou obra prima é a serie A Mediadora, sem sombra de duvidas, são dessa serie os livros que mais gosto da autora XD
    Bj, ótimo post!

    -Amigas Entre Livros-

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho a mesma opinião da Flora em relação a esse livro, achei muito chato, já tentei reler ele mas não tive paciencia... a Mia é muito chata, e a Lili mais ainda ! Os personagens podiam ser mais bem trabalhados mesmo.
    Eu nunca li muitos livros da Meg, então não posso falar se essa obra foi melhor que o normal ou pior. Mas aposto que foi pior, não gostei mesmo do livro, o filme é muito melhor.
    Beijos, a postagem ficou ótima, como sempre.

    ResponderExcluir
  3. Eu sou suspeita para falar desse livro, primeiro, pela admiração que tenho pela autora, segundo, porque acabei me apaixonando pela série após o terceiro livro: Princesa apaixonada. Eu não considero a Mia uma personagem chata. Acredito que ela tem o que me faz gostar dos personagens da MEG: defeitos e qualidades. Ela age como uma adolescente normalmente agiria em seu diário, e sinceramente?! Acho que se ela reclamasse menos, fosse mais realista e madura, o livro não seria tão bom. Sinceramente, para que ela forçaria uma personalidade em algo que só ela tem acesso?! Ela é uma adolescente imatura, insegura e meio bobinha, que vai evoluindo ao longo da série. Claro que o livro não se trata de uma estória marcante, mas, é um daqueles livros que lemos para relaxar, dar algumas risadas e simplesmente termos o prazer de estar lendo algo. Para mim é um bom livro.

    entrelivrosepersonagens.blogspot.com
    @PollyanaCampos

    ResponderExcluir