sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

[Resenha] Julieta Imortal - Stacey Jay


Julieta Imortal
Stacey Jay
Editora: Novo Conceito
Gênero: Ficção, Romance
Páginas: 237

"Julieta Capuleto não tirou a própria vida. Ela foi assassinada pela pessoa em quem mais confiava, seu marido, Romeu Montecchio, que fez o sacrifício para assegurar sua imortalidade. Mas Romeu não imaginou que Julieta também teria vida eterna e se tornaria uma agente dos Embaixadores da Luz.Por setecentos anos, Julieta lutou para preservar o amor e as vidas de inocentes, enquanto Romeu tinha por fim destruir o coração humano.Mas agora que Julieta encontrou seu amor proibido, Romeu fará tudo que estiver ao seu alcance para destruir a felicidade dela.”

Desde que o título e a história foram anunciados, eu tinha expectativas bem altas com relação a esse livro. Ele foi bem divulgado e parecia ter uma história, no mínimo, intrigante. Não é todo dia que alguém resolve pegar um clássico da literatura mundial e alterá-lo para criar um livro para adolescentes. Devo dizer que, antes de qualquer coisa, que a autora deve ganhar, pelo menos, pontos pela ousadia.

Romeu Montecchio matou Julieta Capuleto para garantir a sua imortalidade. Agora, ambos são imortais, cada um trabalhando para um lado do equilíbrio. Ela, como Embaixadora da Luz. Ele, como Mercenário. De tempos em tempos, Julieta pega corpos emprestados para abrigar a sua alma enquanto resolve a missão que os Embaixadores lhe atribuem: juntar um casal apaixonado, um casal de almas gêmeas. Romeu, por outro lado, sempre aparece nessas missões, tentando converter um dos lados do casal a sacrificar tal amor pela imortalidade, para se tornar um Mercenário como ele. Entretanto, em sua última missão, algo parece errado. Nem Julieta, nem Romeu conseguem se comunicar com seus superiores. Ambos estão sozinhos em uma cidade mórbida, tendo que descobrir e realizar a nova missão sem nenhuma ajuda externa. Para piorar, acontece algo na vida de Julieta que ela jamais julgou possível e que, dadas as circunstâncias de seu trabalho, ainda é impossível. Ela se apaixona.

A narrativa é em primeira pessoa no presente e fica trocando a visão entre Romeu e Julieta. Ela é bem fluida e gostosa de ler, mas, novamente, há muitos errinhos de digitação. Inclusive, há um momento da história em que a narrativa, que é no presente, está no passado. Isso degrada um pouquinho à história, porque você acaba tendo que ler mais de uma vez a mesma passagem para entender o que houve. Mas, a história em si, é muito boa. Não vou dizer que tive as minhas expectativas frustradas, eu gostei bastante da leitura. Há uma história intrigante e mágica por detrás de cada página. Isso sem contar que a autora consegue deixar você curioso até o último capítulo. Admito que passei boa parte do livro confusa e ao mesmo tempo louca para descobrir o que exatamente estava acontecendo. Porém, eu tenho que dizer aqui que, por mais que eu tenha tentado separar a história original de Romeu e Julieta da história desse livro, eu me senti um pouco ofendida pelas alterações. Quero dizer, eu tenho comigo que essa história poderia ser maravilhosa e muito bem estruturada sem ter que remeter ao clássico de Shakespeare. É um plano de fundo desnecessário e tirou um pouco dos créditos que o livro poderia ter.

Os personagens foram bem feitos, é legal ver o contraste de personalidade entre a alma que esta habitando o corpo no momento e aquela a qual ele pertence. Não é fácil conseguir fazer essa troca sem acabar alterando as características de cada uma. E Stacey Jay conseguiu, ela alimentou cada alma com um toque particular e o manteve até o fim. Acho que a única coisa que me incomodou, pelo menos no começo da história, foi ver aqueles personagens com os quais estou tão acostumada, agirem com amargura e raiva. Há uma explicação por detrás de cada ação, de cada momento, mais ainda assim, não consegui deixar de me sentir sutilmente ofendida pelas novas personalidades.

Apesar de ter adorado o livro, contando que os pontos positivos superam os negativos, eu devo dizer que detestei o final. Quero dizer, “detestei” é uma palavra um pouco forte, mas eu realmente não gostei da forma como o ele terminou. Foi estranho e eu fiquei vários minutos olhando para parede e me perguntando que diabos eu tinha acabado de ler. Deve ser uma implicância antiga minha com um dos detalhes do desfecho – que eu não vou contar aqui, é claro (: - mas que me incomodou ao extremo. Tentei ler e reler para ver se a minha opinião mudava, mas não teve jeito. Não gostei do final.

Olha, eu recomendo o livro, sim. Ele não é um livro excelente que vai entrar para a minha lista de melhores do ano, mas é um livro bom. É curto, bem escrito e tem um plano de fundo sobrenatural bem interessante. Apesar do final não ser tão legal assim, a história em si te prende do começo ao fim. Ele vai tecendo lentamente uma trama cheia de pontas soltas que você precisa descobrir como atar o quanto antes.

Trechos:

"Sinto a palpitação em meu peito, saboreando a agonia. É terrível, bonito. Espalha-se como o veneno mais doce. O fantasma da desgraça é um bom amigo. Eu imploro pelo sofrimento que me causa, o contorcer da minha alma dentro da minha prisão de pedra."
"Amor, sublime amor, um musical baseado no livro Romeu e Julieta, de Shakespeare. O que significa que, se Romeu decidisse continuar no grupo de teatro, estaria representando a si mesmo. Tenho certeza de que acharia a ironia deliciosa."
"Entro em pânico, desejando ter aceitado tomar café com Ben. Pelo menos teria a ajuda da cafeína para lutar pela minha vida."
"Não ouvi a pergunta. Estou ocupada demais pensando em coisas que não são da minha conta."
"Acima de tudo, abomino a esperança que me faz voltar à vida para depois morrer novamente, como se não tivesse vivido o bastante para saber que a esperança é para tolos."
"Alegria e tristeza, expectativa e desespero. Essa situação é tudo isso, embrulhada em um pacote do impossível."
"Gostaria que fosse simples assim. Uma rosa com outro nome ainda teria o cheiro do impossível. Eu preciso de um corpo, não de um nome."
"Em algum lugar dentro de mim, a chama da esperança se apaga, gemendo como uma criança abandonada na escuridão."
"Esse buraco não é apropriado para nenhum ser humano viver... É perfeito pra mim."

Avaliação

Capa: 
Acab. do livro: 
História: 
Andamento:   
Desfecho: 

Avaliação Geral:
 

Um comentário:

  1. Oii meninas!!
    Eu gostei bastante desse livro, achei a história bem diferente e awwwww Ben *-*!
    Adorei a resenha e os quotes escolhidos! :)
    Beijos!

    ResponderExcluir