sexta-feira, 9 de março de 2012

[Resenha] The Night Circus - Erin Morgenstern


The Night Circus
Erin Morgenstern
Editora: Harvill Secker (EUA), Intrínseca (Brasil)
Gênero: Fantasia
Páginas: 400
Nível de inglês: 3 / 4 (Difícil)

“In 1886, a mysterious travelling circus becomes an international sensation. Open only at night, constructed entirely in black and white, Le Cirque des Rêves delights all who wanders its circular paths and warm themselves at its bonfire.
Although there are acrobats, fortune-tellers and contortionists, the Circus of dreams is no conventional spectacle. Some tents contain clouds, some ice. The circus seems almost to cast a spell over its aficionados, who call themselves the rêveurs – the dreamers. At the heart of the story is the tangled relationship between two young magicians, Celia, the enchanter’s daughter, and Marco, the sorcerer’s apprentice. At the behest of theirs shadowy masters, they find themselves locked in a deadly contest, forced to test the very limits of the imagination, and of their love…”
Eu comprei esse livro com um caminhão de expectativas nas costas. Além da capa maravilhosa que eu tinha encontrado enquanto vagava pelas listas do Book Depository, a história também me chamou bastante a atenção. Talvez por se desenrolar em um ambiente tão original: um circo; ou talvez por mexer com magia e imaginação; ou talvez por se tratar de um romance em outra época, uma época de belíssimos vestidos e paixões intensas; ou talvez por tudo isso junto, eu resolvi encomendar o livro e cruzar os dedos de ambas as mãos para que ele chegasse o quanto antes.
“The circus arrives without warning.
No announcements precede it…
It is simply there, when yesterday it was not.”
Celia Bowen e Marco Alistair estão presos um ao outro dentro de um jogo do qual nunca quiseram fazer parte. Desde pequenos, ambos são treinados e muitas vezes levados aos seus limites para que a competição pudesse ser interessante. E, como se não bastasse, para que as coisas ficassem ainda mais espetaculares e públicas, todo um circo é planejado, onde suas dependências seriam usadas como um tabuleiro para o desenrolar daquele jogo doentio de habilidades, e, principalmente, de sobrevivência. Porém, nem um nem outro esperava pelo amor arrebatador que tornará o laço que os une ainda mais estreito e, conseqüentemente, a resolução do jogo ainda mais difícil.

É um pouco complicado resumir a história diante de apenas uma perspectiva, já que o livro é formado de várias peças distintas que compõem a trama em várias datas diferentes, e que, no final, se juntam perfeitamente para um desfecho igualmente perfeito. Em outras palavras, os capítulos vão flutuando no tempo, indo e voltando em diversas histórias e datas, pegando as pontas soltas e procurando uni-las durante o desenrolar da história, formando uma série de acontecimentos entrelaçados.

O começo do livro é um pouco devagar, mas, ao invés de torná-lo chato, isso acaba provocando um efeito único, pois, no lugar das longas descrições, estão passagens cheias de encantos, descrevendo o circo e seu funcionamento de uma forma tão maravilhosa, que é impossível não se perder nas páginas, imaginando tenda por tenda, truque por truque. Juro que até o cheiro de caramelo eu consegui sentir, conforme andava junto com os personagens pelos caminhos circulares do Le Cirque dês Rêves. A narrativa é muito bem feita e envolvente, quase que como se contivesse um toque real de magia nela. Aliás, juro que teve momentos em que eu me peguei com um sorrisinho completamente abobalhado no rosto enquanto lia, imaginando os lugares maravilhosos que poderiam estar me esperando depois daqueles portões de entrada.

A história me lembra um pouco Alice no País das Maravilhas, pois tudo o que acontece dentro do circo tem um quê de fantástico. São coisas inimagináveis, fantasiosas, que levam sua cabeça para um estado inebriante de sonhos, de uma imaginação sem limites. Isso sem contar com os personagens tão bem feitos e cativos, alguns de uma forma mais soturna, mas todos absolutamente convincentes e amáveis – com a exceção de Hector, que é um cretino. Não dá pra falar separadamente de cada um deles, já que eu gostei de todos e perderia muito tempo descrevendo suas particularidades, mas posso afirmar, de uma forma geral, que eles são todos maravilhosos.

O desfecho foi surpreendente! Não esperava de forma alguma para aquilo. Eu estava pronta para um monte de coisas, varias teorias que eu normalmente monto ao longo da leitura, mas o que houve me pegou de surpresa, de uma forma divertida, fantasiosa e original.

Por último, e não menos importante, aliás, importantíssimo, eu TENHO que comentar essa capa. A versão que eu tenho (a de capa dura) é perfeita! Acho que é o livro mais lindo que eu já vi, sério! Além da jacket toda preta, meio fosca, e com a silhueta de Celia e Marco, que, por si só, já é linda; ainda tem a capa vermelha por baixo, com um relógio cinza desenhado, e as bordas das páginas que são todas pretas! O livro me ganhou por completo: capa, narrativa história, desfecho, personagens, tudo!

Descrever o livro em apenas uma palavra...? MÁGICO

Se você ainda não leu, corre! Ele foi lançado no dia 5 deste mês pela editora Intrínseca

Avaliação:

Capa: 
Acabamento do livro: 
História: 
Andamento: 
Desfecho: 


Avaliação Geral:
 

4 comentários:

  1. Linda resenha, linda! Adorei todos os detalhes citados, esse livro parece ter uma magia poética, sei lá, muita gente dizendo que é bom e tudo mais. A capa é linda, e a que a Intrínseca lançou tb ficou linda.

    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Eu estou louca por esse livro, me apaixonei pela capa dele (lançada aqui, mas essa aí também é bonita!), e circo sempre me encantou, sabe? Adoro livros que tratam do assunto.

    Acho que o fato de ser um livro meio fantasioso me fascina ainda mais e a sua resenha me agradou muito! rs'

    Bj;*
    Naty.

    ResponderExcluir
  3. Amei a resenha! :D Quero muito ler o livro ^__^

    ResponderExcluir
  4. Eu comprei a edição em Inglês! depois eu descobri que foi lançado em português,
    mas to Adorando mesmo assim! ainda não terminei de ler, estou na ultima parte!
    agora se eu pudesse descrever a história em uma palavra diferente da sus eu usaria "INTRIGANTE"!

    ResponderExcluir