sexta-feira, 20 de julho de 2012

[Resenha] Por Isso a Gente Acabou - Daniel Handler

Por Isso a Gente Acabou
Daniel Handler
Editora: Cia. das Letras (Companhia das Letras)
Gênero: Romance Y.A.
Páginas: 376
"Min Green e Ed Slaterton estudam na mesma escola e, depois de apenas algumas semanas de convívio intenso e apaixonado, acabam o namoro. Depois de sofrer muito, Min resolve, como marco da ruptura definitiva, entregar ao garoto uma caixa repleta de objetos significativos para o casal junto com uma carta falando sobre cada um desses objetos e do episódio que ele representou, sempre acrescentando, ao final, uma nova razão para o rompimento. Essa carta é o texto de Por isso a gente acabou, que é, assim, carregado de um tom informal e tragicômico - características da personagem - e traduz com um misto de simplicidade e profundidade a história de uma separação."
Ganhei esse livro de dia dos namorados, acredite se quiser.

Min é uma garota intensa, cheia de manias, que ama filmes e faz parte da galera... "alternativa", para não dizer esquisita. Na festa de seu melhor amigo, Al, ela conhece Ed Slaterton, o cocapitão do time de basquete da escola, super popular e uma das estrelas do lugar. 

De uma forma inusitada eles ficam e começam uma relação e um sentimento muito grande, mas muito, muito complicado. Depois de pouco mais de um mês, eles terminam de uma forma trágica e Min, na tentativa de botar um ponto final em tudo aquilo resolve devolver todos os souvenirs  do relacionamento, deixando dentro de uma caixa desde tampas de garrafa até plantas desconhecidas e uma longa carta na porta de Ed.

O livro é essa carta. É Min contando a história de cada um dos objetos da caixa azul, cada coisa que eles viveram e explicando porque eles terminaram.
"You either have the feeling or you don't"
A narrativa é bastante estranha, mas isso é justificável já que se trata de uma carta. Em certos momentos, Min se perde em devaneios sobre seus filmes e cenas/diálogos decorados e parece esquecer da história. Mas eu me lembrava do quanto ela gostava de Ed, que aquilo é uma carta de fim de relacionamento e, principalmente, Min é uma garota que tem mil coisas na cabeça e ela está sendo totalmente verdadeira, não escondendo nada ali. Portanto, é normal que o livro soe quase como um desabafo.

Estava achando extremamente cansativo nas primeiras páginas, mas depois de certa parte eu queria saber por que raios aquele relacionamento que tinha tudo para dar errado, mas que estava dando certo, acabou... bem, acabando?!

Ainda mais por ser uma história completamente normal, comecei a achar que o livro seria uma decepção. Mas é aí que está a jogada: o livro tem tudo de clichê e você se identifica com ele, se aproxima de Min e quer que tudo dê certo, mas você já sabe que deu errado! Como são as palavras da própria garota, tudo é muito intenso. A confusão, a prosa rápida e meio psicodélica só colabora para o sentimento de que tudo foi real. Lembra a confusão de quem está apaixonado. Ou pior a confusão de quem está vendo tudo desmoronar e não pode fazer nada. E pior ainda, daquilo que já acabou mais ainda dói as vezes e você fica querendo saber porque acabou e conta para as pessoas e ainda fica cada vez mais indignado com tudo. Porque todo mundo já gostou demais de alguém e levou na cara. Todo mundo.
"O problema é que eu te amei demais, porra."
E o fim... Enfim... O fim, é de cortar o coração. Parecia que era o meu coração sendo despedaçado. Não chorei como muita gente que leu esse livro, mas senti muito por Min. E queria ser amiga dela para abraçá-la e dizer que tudo vai ficar bem.

Min, apesar de maluca é uma ótima garota e só quer ser feliz, tem mal algum nisso?! Agora, Ed... Ed é um cretino! Enquanto ela ia contando, eu cada vez mais via coisas que num relacionamento você releva, porque não quer ver. Não quer ver porque tem medo de encarar a gravidade daquilo, acha que não é algo da pessoa e sim algo do momento. E não, Ed é exatamente daquela forma, cretino.

Nunca tinha lido nada do Handler, mas esse foi um ótimo começo! Ele soube dosar a personalidade de Min e todo o seu amor, ódio, saudade, etc. Sem falar, que escrever uma carta tão grande e sendo uma personagem mulher, mas escrito por um homem, deve ter sido um senhor desafio.

O projeto gráfico... ahhh, o lindo projeto gráfico! Deve ser o livro mais bonito que tenho na minha estante, sem exagero algum. As ilustrações são maravilhosas, a diagramação é perfeita, etc etc. O livro é super gostoso de ler nesse sentido: confortável e lúdico.

Ainda estou decidindo se esse livro é um dos meu preferidos, mas com certeza é nota máxima. Super recomendo.

Avaliação:
Acabamento do livro: 
História: 
Andamento: 
Desfecho: 

Avaliação Geral:
 

4 comentários:

  1. COMO CÊ NÃO ME CITOU NA REESENHA, VAGABUNDA U_U

    Se não fosse por mim, cê tinha batido na Min no início do livro, apenas UHAUSHASUHASUHS
    Eu chorei no fim do livro, tipo pacas, porque o Ed parece com gente que eu já namorei, na verdade, todo mundo já pegou um Ed da vida, e todo mundo tem sua parte de Ed e sua parte de Min. Cê não disse que a Min é hipste,r porque ela é U___U

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela não é hipster Mat. Só você! IUAHSDHASIDHIHSAD

      Excluir
  2. O que me motiva a ler esse livro é a diagramação dele. Deve ser lindo, e como não tem livraria pelas redondezas da minha cidade, fico aqui imaginando e vendo caixas de correio pra saber como é.

    Do Handler eu li os dois primeiros livros de Desventuras em Série, pq peguei emprestado e achei legal, mas deve ser interessante ler um livro em que o personagem escreve uma carta, e nossa, essa Min deve viajar pra caramba nessa carta, se fosse eu, falaria cada coisa, imagina uma personagem escrita pelo Handler? rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é meio confuso no começo, mas eu realmente gostei muito dele! Ainda mais por o Handler ter conseguido fazer uma história que tinha tudo pra ser clichê, não ser clichê! Leia assim que puder!

      Excluir