sexta-feira, 14 de setembro de 2012

[Resenha] 1984 - George Orwell

1984
George Orwell
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Distopia
Páginas: 416
“1984 é uma das obras mais influentes do século XX, um inquestionável clássico moderno. Publicado em 1949 pertencia a um futuro relativamente distante, tem como herói o angustiado Winston Smith, refém de um mundo feito de opressão absoluta. Em Oceânia, ter uma mente livre é considerado crime gravíssimo, poiso Grande Irmão (Big Brother), líder simbólico do Partido que controla a tudo e todos, “está de olho em você”.

No íntimo, porém, Winston se rebela contra a sociedade totalitária na qual vive: em seu anseio por verdade e liberdade, ele arrisca a vida ao se envolver amorosamente com uma colega de trabalho, Júlia, e com uma organização revolucionária secreta.”
Eu não queria fazer a resenha desse livro pelo simples motivo de que fui obrigada a lê-lo. Sério, eu tenho uma birra muito grande por qualquer livro o qual não posso ler no meu ritmo. No entanto, como não tive uma experiência ruim com o livro, resolvi escrever a resenha. 

Winston vive em um mundo distópico sob o governo de um partido totalitário. Ele tem uma dieta controlada, é obrigado a trabalhar todos os dias em um departamento destinado a falsificar jornais e documentos em prol do governo, é obrigado a venerar um líder cuja pessoa nunca viu, a odiar os traidores publicamente acusado todos os dias e ainda é observado 24 horas para que tenham certeza de que ele cumpra seu dever.

Contudo, ele sente que algo está errado. As coisas que acontecem, os ensinamentos do governo, a forma como os transgressores são punidos ou como são vigiados o tempo todo. Antigamente não era assim. Mas ninguém se lembra de antigamente. Aqueles que se atrevem a lembrar, desaparecem.

A narrativa é em terceira pessoa, com uma linguagem simples (Pelo menos na versão que eu comprei, mas existe umas – mais antigas – que são mais complicadas e podem requerer um pouco de paciência.) e um desenrolar fluido. Não é uma leitura longa.

O autor imaginou um futuro socialista baseado na visão do mundo pós-bélico no qual vivia quando o escreveu. Nele discute-se sobre a liberdade, a privacidade e sobre como os mecanismos de comunicação podem ser poderosos. Orwell criou uma sociedade impressionantemente terrível, controlada por formas que hoje, só de pensar, chegam a ser assustadoras.

E, de certa forma, não errou muito na data. Olhando por determinado ângulo, em um âmbito simbólico, o mundo de hoje não está muito distante daquele retratado em “1984”. Posso citar aqui, inclusive, a devoção que muitas pessoas oferecem a um programa ironicamente batizado com o nome do terrível líder que atemoriza os habitantes de Oceânia. Engraçado, não?

Como crítica, o livro é incrível e muito bem feito em todos os seus detalhes. O autor conseguiu criar uma trama intrínseca, coesa e impressionante.

Porém, eu costumo dizer que uns dos principais motivos pelo qual eu leio é para imaginar, viajar e para me sentir, de certa forma, bem. É para ter bons momentos com a leitura ou, ao menos, que eu não me sinta o tempo todo mal. É preciso de um momento ou outro de algo bom... E “1984” é, sem dúvidas, um livro depressivo. Eu me senti triste e para baixo durante toda a leitura. Admito que, em alguns momentos, senti uma pontinha de esperança, mas era uma esperança triste e melancólica.

Não digo que não gostei do livro, pois eu gostei sim, bastante! Mas não foi uma leitura tão boa quanto eu gostaria que fosse. Terminei o livro com uma sensação pesada no peito, algo ruim. Primeiro porque, como eu disso, todo o desenrolar do livro não cooperou para uma sensação melhor. Segundo, porque o desfecho foi muito vago e apático. Provavelmente não tornarei a lê-lo. 

Como eu disse, como uma crítica ele é maravilhoso e deve ser lido. Primeiro, porque ele serve como um aviso para está sociedade que se torna cada dia mais ignorante. Depois, porque é um clássico importante e significativo. Até porque, em algum momento da sua vida algum professor vai te pedir para lê-lo.
Resumindo, a leitura foi boa em alguns aspectos e ruins em outros. Mas eu a recomendo bastante, de verdade. 

Avaliação:
Acabamento do livro: 
História: 
Andamento: 
Desfecho: 

Avaliação Geral:

Um comentário:

  1. Me falaram muito bem sobre esse livro e tenho muita vontade de lê-lo, mas ainda não tive oportunidade.
    Adorei a resenha!

    beijos

    Gih
    http://kastmaker.blogspot.com/

    ResponderExcluir